setembro 20, 2006















PEQUENA CANTIGA À MULHER

Onde uma tem
O cetim
A outra tem a rudeza

Onde uma tem
A cantiga
A outra tem a firmeza

Tomba o cabelo
Nos ombros

O suor pela
Barriga

Onde uma tem
A riqueza
A outra tem
A fadiga

Tapa a nudez
Com as mãos

Procura o pão
Na gaveta

Onde uma tem
O vestígio
Tem a outra
A pele seca

Enquanto desliza
O fato
Pega a outra na
Enxada

Enquanto dorme
Na cama
A outra arranja-lhe
A casa

(Teresa Horta)
(Fotos Vintages: Art-e-Zein)
(Foto Lavadeiras: Cruzado)

23 Comments:

Blogger robina said...

Aposto que os meninos vão adorar estas brasas :-))))

E, claro que o poema é bonito ;-)

20 setembro, 2006 12:30  
Blogger Inha said...

Acho que sim ;)))))


Bom bonito.;)

20 setembro, 2006 12:34  
Blogger Robino do covil said...

Dorme na cama? Tens a certeza que é isso mesmo? ;-)))

20 setembro, 2006 12:59  
Blogger Inha said...

Tens de perguntar à Teresa Horta...;)))

20 setembro, 2006 13:35  
Blogger Miguel said...

"Enquanto dorme
Na cama
A outra arranja-lhe
A casa ...!"

Lindas meninas!

Bjks da Matilde

20 setembro, 2006 14:20  
Blogger José said...

Estas mulheres do antigamente são umas porcelanas. Eram comestíveis?...

20 setembro, 2006 14:22  
Blogger Inha said...

Nem mais, Miguel, qual das duas a mais bonita!...;)

BeijInha

P.S. Linda é a Tua.

20 setembro, 2006 14:23  
Blogger Inha said...

Não sei José. Dizem as más línguas que eram feitas de massapão e açúcar... será?;)

20 setembro, 2006 14:27  
Blogger Mano 69 said...

Antigamente é que era.
Uma para a casa
e outra para a cama...

20 setembro, 2006 14:30  
Blogger Inha said...

E tu não querias mais nada, pois não?;))))))

20 setembro, 2006 14:33  
Blogger Kaos said...

É por essas e por outras que as Marias Antonietas perderam a cabeça.
bjos

20 setembro, 2006 15:26  
Blogger Inha said...

As lindas Marias Antonietas que gostavam de representar peças teatrais, mas que se esqueciam frequentemente que a peble dos bastidores também precisava de comida, não foi?;)


BeijInhas
(maldito povo, também precisa de comer, como se já não fosse sufuciente ter de o tolerar... Kaos, onde foi que eu já li isto?...?...;) )

20 setembro, 2006 15:34  
Blogger Mano 69 said...

O povo? As sans coulotte? São umas porcalhonas...

20 setembro, 2006 16:43  
Blogger Inha said...

E malcheirosas, Mano. Detestestavam água. Será porque passavam a vida a limpar a merda dos outros?...;)

20 setembro, 2006 16:46  
Blogger Mano 69 said...

Não. A merda dos outros cheirava bem, a merda dos pobres é que cheira mal!

20 setembro, 2006 17:02  
Blogger Inha said...

;)

20 setembro, 2006 18:01  
Anonymous fresquinha said...

Cá para mim isto é poema lésbico ...enquanto uma faz uma coisa, a outra faz a outra ...

20 setembro, 2006 22:35  
Blogger Robino do covil said...

Pois, fresquinha, fale-se de poemas lésbicos e...

21 setembro, 2006 03:45  
Blogger Mano 69 said...

Um poema bate-chapas fresquinha?

21 setembro, 2006 09:39  
Blogger Inha said...

Bons dias!:)


Lésbicas? Onde tu já vais, rapariga...lollll

21 setembro, 2006 09:53  
Blogger ivamarle said...

uma crua realidade, dita com belas palavras poéticas e que continua bem actual, infelizmente...

21 setembro, 2006 10:27  
Blogger Inha said...

Não é?;)

21 setembro, 2006 12:12  
Anonymous fresquinha said...

Foi o que pareceu ... e elas têm direito. Quem sou eu para lhes estragar a poesia !!!:-)

21 setembro, 2006 15:07  

Enviar um comentário

<< Home