maio 29, 2007



EM PRESSÕES DIZ E TAIS

Há sempre algo que fica por dizer... nem que esse “algo” seja mesmo “tudo”. No entanto já te desenhei vezes sem conta, com as palavras que se deixam escrever à velocidade do bater de um coração. Anda-se às voltas, à descoberta de novos lugares, na demanda de novos refúgios que abriguem a solidão mas acaba-se sempre por voltar aos mesmos sítios, onde em tempos se prendeu uma esperança devota a nada... o mesmo lugar-comum, onde persiste a miragem de que alguma coisa seja diferente de todas as outras visitas a esse planeta chamado “paixão”.

As promessas veladas que se fazem nos mais impróprios momentos de insensatez são sempre as piores, as mais inoportunas. Porque são as promessas que nunca se devem fazer e são as que nunca se chegam a cumprir.

Os inertes textos que não são lidos, porque não se dão a ler, são os que estão manchados de morte logo à nascença. Nascem sem propósito, sem alvo ou objectivo que lhes indique alguma razão para a sua própria existência... tal como as promessas vãs... condenadas.

Os refúgios que se procuram não são mais que fogo-fátuo tentando sobreviver à custa de um oxigénio que já não existe... em tempos oxigénio, agora nada mais que um amontoado de suspiros embriagados de desalento, como se fossem um aviso da ruína que se prepara para reinar sobre o mundo.

A promessa que se mantém cumprida é apenas uma: não dar vida às palavras que têm o poder de destruir tudo em seu redor, de uma só vez. As palavras que ninguém quer ouvir, vindas da boca de um qualquer desalinhado.

Essa... essa é a promessa que não se pode quebrar.

Porque essa é a promessa que me permite acordar sob o mesmo sol que te ilumina as manhãs... porque essa é a promessa que me permite continuar a sonhar.


...e o que seria deste insignificante mundo em que me fecho, se não fosse o fascínio que despertas em mim...
(Foto: Stas Zarechansky)

10 Comments:

Blogger sr_antonio said...

É por estas e por outras que muitos continuam a querer ser alegrados com as mentiras e não feridos com as verdades :/

29 maio, 2007 19:04  
Blogger foryou said...

Insignificante mundo?? Com um fascinio assim? hum....

29 maio, 2007 23:21  
Blogger Ivo said...

Inha pah....

Sabes... para mim as promessas agora, n passam de simples palavras soltas ao vento e de acordo com a melodia do ouvido!!

Vida "cor de rosa"... nops!! Há que viver e aproveitar...

30 maio, 2007 10:35  
Blogger Kaos said...

Está a decorrer uma greve geral de blogs. Se desejares participar podes copiar a imagem que está no meu blog. Obrigado
Um abraço

30 maio, 2007 10:56  
Blogger Fallen Angel said...

Ai ai...

A coisInha anda lânguida...

:-)

30 maio, 2007 12:02  
Blogger Inha said...

Sr. António, e isso é amor? Eu chamava-lhe cegueira...;)

31 maio, 2007 17:28  
Blogger Inha said...

Foryou, concordo plenamente.

(ai, Montenegro)

;)

31 maio, 2007 17:30  
Blogger Inha said...

Ivo, e quem precisa de promessas?
O importante é querer estar.


;)

31 maio, 2007 17:32  
Blogger Inha said...

Kaos, tarde demais. Já aderi!LOLOLOLOLOLOL

Obrigada por me teres avisado.

BeijInha Grande

31 maio, 2007 17:33  
Blogger Inha said...

Angel, folgo em ver-te...:)

"lânguida" não é bem o termo.
Digamos que tenho uma natureza um bocado para o romântico...:)

;)

31 maio, 2007 17:35  

Enviar um comentário

<< Home