novembro 08, 2005


























QUANDO NÃO ESTÁS

Quando não estás invento-te.
Imagino histórias
Escrevo argumentos
Realizo filmes
Para encher de ti
O tempo em que não estás.
Puxo-te por um braço
Trago-te para o meu espaço
És voz amante de um filme de Almodovar
Calmo. Terno. Meigo
Carinho. Paz.
Ou persegues-me. Agarras-me
Empurras-me contra um canto
Possuis-me ao ritmo alucinante de Tarantino
E somos paixão absurda
Que tudo destrói à passagem
Que esgota os sentidos
Arrasa o corpo
Não acalma a alma
Não conhece paz nem calma
Mas é fogo violento que arde
E exige sempre mais.
Quando não estás presente
Invento-te.
Para estares sempre
Mesmo quando não estás.

(Encandescente in Quando Não Estás)
(Foto: Maxim Gridasov)

A nossa bela Encandescente acaba de publicar o seu tão esperado livro.
Com a qualidade a que ela nos habituou, só posso desejar-lhe muitos sucessos e felicidades!

12 Comments:

Blogger Maria said...

Lindo..
Consegui ler-me ai....

08 novembro, 2005 17:53  
Blogger Tigresse said...

Tens um blog mt bonito e este poema é maravilhoso!
Beijokinhas

08 novembro, 2005 18:49  
Blogger ivamarle said...

lindo poema, e seguramente um livro a comprar!

08 novembro, 2005 21:30  
Blogger mfc said...

o poema é lindíssimo e tem um ritmo alucinante!

08 novembro, 2005 21:52  
Blogger Mendes Ferreira said...

Boa noite Inha....e bjo.

08 novembro, 2005 22:06  
Blogger Mendes Ferreira said...

bom dia....sem "encandescências"....mas com ela. :)

09 novembro, 2005 09:33  
Blogger Inha said...

Bom dia MF, uma bj para ti também!:):):)

Obrigada Tigresse. Bem vinda!BJS;)

09 novembro, 2005 09:44  
Blogger Pinto Ribeiro said...

bom dia Inha, bjinho,

09 novembro, 2005 09:56  
Blogger Inha said...

Bom dia PR!BJS para ti também!:):):)

09 novembro, 2005 10:03  
Blogger São Rosas said...

Ah, bom! Encontrei. Tinhas isto tão escondidinho... (desculpa esfarrapada de uma vesga)
;-)

10 novembro, 2005 11:20  
Blogger ernesto esteves said...

Muito lindo, sim senhora!

10 novembro, 2005 11:28  
Blogger Inha said...

Ai, Sãozinha!;)

Olá Ernesto, bem vindo!:)A poesia da Encandescente é deliciosa. Eu já encomendei o meu livro!;)

10 novembro, 2005 12:01  

Enviar um comentário

<< Home