março 28, 2007






SERVIÇO PÚBLICO

Saiba como, aqui.

ADENDA AO POST:

O nosso Frog colocou aqui uma questão pertinente, à qual não dei a devida resposta, até porque aqui na empresa a ideia que tínhamos era a de que as contribuições sairiam do valor líquido do imposto a receber. As ideias dividiram-se e um de nós informou-se concretamente da situação.
A questão levantada foi a seguinte: "uma dúvida...se não houver IRS a reembolsar pode-se obrigar as finanças a creditar na AMI 0,5% daquilo ke nós descontamos? "
Resposta: Podemos, sim senhor. Quer tenhamos imposto e receber ou pagar ou nem uma coisa nem outra, desde que preenchamos a declaração, podemos manifestar a nossa vontade em que o Estado entregue à AMI (ou a qualquer outra instituição devidamente legalizada), uma percentagem do nosso imposto, sem que isso implique perda de receita ou, no caso de quem tiver imposto a pagar, acréscimo da dívida ao estado.
Ou seja, o contribuinte, na sua declaração, manifesta apenas o seu desejo de ver uma parte do seu imposto canalizada para outro destino que não os cofres do Estado. E o Estado limita-se a cumprir com a parte que lhe é destinada. Neste caso concreto, em vez de ficar com os 100% de imposto devido, fica apenas com 99,50% do imposto, entregando 0,5% à AMI, e reembolsando os contribuintes do que lhes é devido, ou cobrando-se do valor em falta.
A agora? Porque não contribuir? Temos o poder de destinar uma parte ínfima (que seja) dos nossos impostos para uma instituição merecedora de crédito. Vamos fazê-lo. Não temos nada a perder.
Mas há muitos milhões que vão ganhar.

26 Comments:

Blogger robina said...

A AMI é sem dúvida um dos organismos que me merece mais credibilidade. Vou saber mais ali :-)

28 março, 2007 15:51  
Blogger Inha said...

Olá, Rapariga dos Bosques, é como a mim.
Vai sim e faz as contas. É insignificante para nós e uma ajuda preciosa para os milhões que precisam de vacinas e tratamentos.

Eu achei tão pouco, muito pessoalmente, que vou ver até se posso dar mais ou se o programa só aceita os 0,5%.

28 março, 2007 16:03  
Blogger Toze said...

AMI, pois muito bem :)

beijo

28 março, 2007 16:04  
Blogger Inha said...

Oi, Tozé. Então... já sabes.

(saudades):)


BeijInha Grande

28 março, 2007 16:12  
Blogger Mano 69 said...

«Eu achei tão pouco, muito pessoalmente, que vou ver até se posso dar mais ou se o programa só aceita os 0,5%.»


Eu aceito o remanescente inha!

28 março, 2007 16:24  
Blogger Inha said...

Queiras, meu lindo! Querias!...:D))) Só aceita os 0,5%. Mas há outras formas de o fazer lá chegar...;)

28 março, 2007 16:35  
Blogger Inha said...

E vê lá se te juntas às contribuições do pipol...:D

28 março, 2007 16:36  
Blogger fresquinha said...

E já sabes quem é o amigo ? :-)))

28 março, 2007 17:48  
Blogger fresquinha said...

Eu não compro sem ver.

28 março, 2007 17:49  
Blogger Montenegro said...

Não tenho tido tempo para quase nada.

Aqui fica apenas um beijo, para não dizeres que sou desnaturado. :)

28 março, 2007 18:59  
Blogger ivamarle said...

também só tomei conhecimento desta possibilidade, na passada semana. Acho uma óptima ideia a divulgar ;-)

28 março, 2007 20:58  
Blogger ivamarle said...

por acaso tenho um amigo que é médico da AMI, quando encontro o pai dele e lhe pergunto onde está, invariavelmente a resposta é que está onde estiver a mais recente catástrofe humanitária, ele diz que o filho sofre mais se ficar confortávelmente sentado ao observar tudo pela TV...

28 março, 2007 21:02  
Blogger luikki said...

sem dúvida nenhuma mercedora da nossa colaboração!

28 março, 2007 22:48  
Blogger frog said...

uma dúvida...se não houver IRS a reembolsar pode-se obrigar as finanças a creditar na AMI 0,5% daquilo ke nós descontamos?

29 março, 2007 08:45  
Blogger Inha said...

Fresquinha, agora baralhaste-me. Explica-te melhor...;)

29 março, 2007 11:51  
Blogger Inha said...

Montenegro, voltas sempre que quiseres e puderes. Já sabes que a casa é tua.

BeijInha, lindo.

29 março, 2007 11:52  
Blogger Inha said...

Iva, e que segurança tem essa gente a trabalhar em campos de refugiados e zonas de guerra? Isto é louvável. Esta gente fá-lo por amor à causa. Não há dinheiro que pague a nossa vida, essa é que é a verdade!;)

29 março, 2007 11:55  
Blogger Inha said...

Sem dúvida nenhuma, Luikki. Louvável.

29 março, 2007 11:56  
Blogger Inha said...

Frog, nem imaginas quão pertinente é a tua pergunta. Devia ser, sim senhor. Aliás se os governos tivessem vergonha na cara e consciência da merda que fazem, estas contribuições não teriam razão de existir.
Mas as armas movimentam biliões e para isso é que vai o grosso dos impostos.

29 março, 2007 11:59  
Blogger Kaos said...

Já há alguns anos que preencho sempre essa parte do meu imposto.
bjs

29 março, 2007 12:08  
Blogger Inha said...

Eu desconhecia, Kaos, porque é um colega meu, que se oferece para me fazer todos os anos a declaração do I.R.S. (obrigada, D.M., és um excelente financeiro e um óptimo colega), pelo que nunca lhe falei no assunto, nem concerteza a ele ocorreu perguntar. Mas agora que sei, é evidente que vou colaborar, até porque a AMI é mesmo das poucas instituições que me merece credibilidade.

BeijInha

29 março, 2007 12:18  
Blogger Inha said...

Frog, retiro parcialmente o comentário que te fiz, porque, contrariamente ao que pensavamos aqui na empresa, em que estes 0,5% incidiriam sobre o valor a líquido a receber, houve alguém que se informou devidamente, para que não restassem dúvidas sobre esta questão.

Passo a postar.

29 março, 2007 12:59  
Blogger fresquinha said...

Ami é amigo, não ? :-)

Estava a brincar. Acho muito bem que divulgues e apoies a ideia. Eu como não trabalho, ajudo no Banco da Fome. Já é alguma coisa.

29 março, 2007 15:23  
Blogger frog said...

Obrigada pelo trabalho ke tiveram na busca dessa informação...ela efectivamente está correcta...assim...sim...serviço público no seu melhor...entre umas graçolas...é bom pensar um pouco...

Boa tarde Inhica

29 março, 2007 15:38  
Blogger Inha said...

Então não é, Fresquinha? Olha, por exemplo, uma colega minha está a pagar os estudos a uma criança de uma instituição sem posses, em o catraio de bom aluno que era, seria uma pena abandonar os estudos. Quando há boa vontade, o que não falta por aí é gente necessitada. E bem necessitada.

;)

29 março, 2007 15:53  
Blogger Inha said...

Obrigada eu a ti, Sapico, por teres levantado esta questão, sem a qual, se calhar, menos pessoas seriam levadas a contribuir.
E olha, pela minha parte, faço o que posso. Este assunto, vindo a lume, levantou uma "discussão" aqui na empresa e muita gente já se tinha esquecido deste e-mail. E lá vai a AMI arrecadar uns bons eurecos, pois! A ideia é essa.

BeijoquInha Gorda no Sapo.

29 março, 2007 15:59  

Enviar um comentário

<< Home